quarta-feira, setembro 17, 2008

O meu 2º ano

O meu 2º ano na faculdade pode ser dividido em duas fases, 1º semestre (ou desastre total) e 2º semestre (ou êxito inesperado). Passo a explicar:

O 1º semestre foi um desastre, uma vergonha. Eu estava desanimada, com um sentimento quase constante de pura desolação, de falta de motivação. As únicas coisas que me passavam pela cabeça era que eu não era capaz, não ia conseguir, não era suficientemente inteligente, estava era a perder tempo, etc etc.
Estive para desistir mais do que uma vez, pensei em congelar a matrícula e recomeçar mais tarde, e muitas outras coisas. A verdade é que, e não sou só eu que o digo, Bolonha veio dificultar bastante as coisas. Sem me querer justificar de modo algum, os factos são que cadeiras que antes eram anuais passaram a semestrais com a mesma quantidade de matéria, e diminuiu-se vergonhosamente a carga horária (a minha é de 17 horas por semana), sendo que as aulas eram uma introdução e o resto da matéria tínhamos de ser nós a procurar. E como vou fazer parte do 1º ano a licenciar-se em bolonha sem plano de transição não há cá apontamentos dos anos anteriores para ninguém. A matéria é a mesma mas a bibliografia foi toda alterada... Enfim, mais dificuldade, menos apoios e menos credibilidade no mercado de trabalho...
Terminada a minha crítica, a verdade é que no primeiro semestre deixei 3 cadeiras por fazer e nem tive a decência de as tentar fazer em recurso. Desisti, baixei os braços, marimbei-me para aquilo... Das cadeiras que fiz, não constam notas de que me orgulhe.
Apenas para dar uma ideia da gravidade da situação, só transitam de ano os alunos que deixam até 4 cadeiras, o 2º semestre ainda não tinha começado e eu já contava com 3 atrasadas (isto funciona por créditos e não cadeiras, mas no meu caso coincide), por isso a coisa estava preta para o meu lado...

No início do meu 2º semestre comecei a trabalhar. Fui para os serviços centrais de um banco, trabalhar em telemarketing. Era um part-time, só de manhã, era fácil e pagavam razoavelmente bem... Para as aulas não sobrava muito tempo. Por este motivo, das 8 cadeiras que eu tinha no 2º semestre, apenas assisti ás aulas de 2, que eram da parte da tarde. A minha desmotivação alongou-se até quase ao final do 2º semestre, altura em que eu analisei bem a situação e vi o que estava em risco mas que ainda podia ser remendado. Nesta fase, o Tiago teve um papel fulcral. Apoiou-me, deu-me muita força, ouviu-me, aturou-me, aconselhou-me. Enquanto eu tinha dúvidas e queria desistir, ele sabia exactamente o que tinha de ser feito e fazia-me levantar a cabeça. Para não deitar tudo a perder, agora que faltava tão pouco, eu tinha de fazer pelo menos 7 cadeiras, uma vez que ainda podia deixar uma. Não tinha ido ás aulas, não tinha apontamentos e não fazia ideia das matérias. Os exames estavam á porta e eram a única solução. Com todo o apoio e paciência do Tiago, eu estudei, marrei que nem uma louca e em 15 dias fiz 7 exames (uma cadeira já tinha conseguido fazer). Chumbei a 5. Na época de recurso tive de tomar uma decisão e desisti da mais díficil (Semiologia), assim ia fazer 4 exames e tinha de passar aos 4, ou chumbava. Fiz os 4 e passei aos 4. Num deles, Sociologia da Comunicação, passei de um 2 para um 14. E passei para o 3º ano com as 4 cadeiras em atraso que podia deixar e com média de 13.

Não sei como fui conseguir, mas sei que não vou deixar as coisas chegarem a este ponto. Não quero passar por todo aquele sufoco novamente, ninguém merece... Agora, já só falta um ano, é o mais dificil e levo ás costas 4 cadeiras bem difíceis do 2º ano(Semiologia, uma de economia e duas de estatistica), No entanto, a minha motivação é outra, e desta vez não duvido das minhas capacidades, nem da minha força de vontade, e dá-me muita paz saber que tenho o Tiago do meu lado.

Já falta tão pouco...

1 Comments:

Blogger Kermit said...

Bem-vinda de volta!
Nao imaginei que tivesses passado uma fase assim durante o curso o ano passado.

Sei que há coisas que sao psicologicas e que temos que resolver cá dentro, mas de qualquer forma os amigos estão cá para as ocasiões. E tens aqui uma amiga q esteve/está a fazer o mesmo curso que o teu. Qualquer coisa que precises PEDE! Tenho muitos apontamentos e muita coisa que pode ajudar, alem de uma palavra amiga e de encorajamento para te dar. Não desistas. É como dizes: falta tão pouco.
Bolonha veio complicar o estudo porque implica um auto-estudo e as aulas são mais de orientação que aulas propriamente ditas, senti isso na pele. De qualquer forma esforços unidos custam menos que um esforço sozinha. Fica à vontade e pede-me o que precisares durante este 3º ano e no que mais eu te puder ajudar.

Um grande beijo amiga.

Camila

quinta-feira, 18 setembro, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home